Skip to content

Poemas para ler na escola – João Cabral de Melo Neto

06/01/2012

joão cabral de melo neto é um dos mais notórios poetas que o brasil já teve, bem ao lado de drummond. o tamanho de sua poesia é monumental, sem precedentes. a riqueza de sua poesia é algo que enleva o leitor a uma outra dimensão da experiência poética, trazendo-nos sonoridades e ritmos novos, mas, paradoxalmente diria, com temas clássicos dentro da tradição literária brasileira. joão cabral de melo neto caracteriza-se por ser um poeta com fama de difícil, haja vista a complexidade de seus. seus poemas longos, como “vida e morte severina” ou “auto do frade”, são poemas que carregam inúmeras cargas simbólicas que precisam de mais de uma leitura para que tudo possa ser devidamente digerido no intestino mental do leitor. esse poeta nordestino merece uma introdução, quase que obrigatoriamente, para que ao poucos nos habituemos com seu ritmo, sua dicção, sua linguagem. é isso que propõe o livro “poemas para ler na escola”.

o intuito do livro já se clarifica pelo título: são poemas menos densos, que para serem lidos e discutidos em ambiente escolar. nem todos os poemas são “menos densos” porém. no livro há além dos já citados “vida e morte severina” e “auto do frade”, o poema “o rio” que, na minha opinião, é um dos mais lindos saídos da lavra cabralina, e outros poemas menores. os trabalhos poéticos de cabral apresentados no livros são no geral, poesias que traçam todo o perfil do poeta. é possível conhecer toda sua preocupação social, sua rigorosidade na estruturação, e também seu lado mais descontraído, com poesias que tratem de coisas cotidianas como o futebol (“o futebol brasileiro evocado na Europa” ou ainda fale de sobre literatura (“o poema”, “ psicologia da composição”. talvez a maior vantagem que se possa ter, através da seleção dos poemas para essa pequena antologia, é poder perceber a racionalidade poética que cobre toda a obra cabralina. joão cabral de melo neto é um poeta que escreve sob a regra da meticulosidade, sem os floreios supérfluos da inspiração sentimentalista. sua poesia é concentrada, com um vasto leque de possibilidades, cheia de reflexões filosóficas, e que não perde o fio da meada.

o livro serve muito bem ao propósito de introduzir o novo leitor o universo poético de joão cabral de melo neto, é uma porta de entrada muito confortável. claro que para conhecê-lo em profundidade exige-se muito mais do que apenas parcos poemas, pois a poesia cabralina é um mar, outro clichê, que parece não ter um horizonte que sirva de limite, e quando se mergulha nele, não existe esperança de volta, fica-se para sempre nele.

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: